Viver como se o Estado Não Existisse

Acompanhar notícias políticas é um tempo perdido!

Por mais que seja importante estar informado para orientar a tomada de decisões, especialmente nas eleições, e para exercer a cidadania com mais consciência, o noticiário é enfadonho e, até mesmo, estressante para as pessoas de bem e que não querem se alimentar com a maldade.

O Estado não tem praticamente nada de bom para oferecer. Ele apenas tira dos cidadãos, como um parasita insaciável.

Então, decidi viver como se o Estado não existisse e me importar tão somente com PESSOAS. 

ESTADO, não, PESSOAS, sim!

Os agentes do poder do Estado extraem o que há de pior de seus pares, se alimentam da mentira e da corrupção. No jogo do poder vale tudo e qualquer coisa.

E na esteira dele, relacionamentos de amizade são quebrados por causa de um Estado enganoso e enganador em todas as suas esferas. É muito fácil dar bom dia a cavalo ao tomar posição a respeito de algum agente ou grupo.

Muito fácil jogar na lama relacionamentos de anos por causa de tolices políticas que nascem de um Estado fracassado.

Perde-se o foco da própria vida e das coisas que realmente importam nela.

Perdem-se oportunidades de empreender com maior criatividade na busca de soluções, porque a mente está povoada pelos monstros do Estado.

Gasta-se e perde-se energia que poderia ser canalizada para produzir o que carrega vida; o Estado carrega a morte.

Por tudo isso, resolvi esquecer o Estado e me ocupar apenas com as pessoas e projetos que tenham a Pessoa como seu alvo. 

Só valorizar pessoas, incluindo a mim mesmo, e não perder tempo com o lixo diário produzido pelo Estado; não vale a pena toda a energia dispensada e não produz resultados positivos.

Vou apenas cumprir minhas obrigações com o Estado, como pagar impostos, e, no mais, fazer de conta que ele não existe.

Desejo apenas ajudar as pessoas, caminhar com as pessoas, contribuir para um mundo melhor onde as pessoas possam crescer como seres humanos melhores.

Isso, sim, poderá mudar o Estado, pois a única mudança duradoura que pode melhorar o Estado é a mudança da PESSOA.

Leia Também:

Dando um Jeito de Esconder o Mal Feito
As Mídias Sociais na Campanha Política
Caráter na Política

Dando um Jeito de Esconder o Mal Feito

Ontem nós vimos o Supremo Tribunal Federal julgar o indulto de natal do presidente Michel temer, o qual havia sido cancelado pelo ministro Barroso no ano passado, pelo fato de que ele colocava em liberdade os políticos corruptos presos.

 

O indulto de Temer não seguiu o padrão de 30 anos de democracia, alterando os critérios para concessão de liberdade, a fim de favorecer os políticos presos.

 

Durante o julgamento, presenciamos alguns ministros fazendo malabarismos jurídicos a fim de aprovarem o indulto e soltarem mais de 20 corruptos presos. Foi patético e até constrangedor, ver Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Ricardo Lewandovski atuando em favor de corruptos.

 

No momento em que o ministro Fux pediu vistas do processo, interrompendo a aprovação certa do indulto que estava sendo dado aos corruptos, assistimos perplexos à tentativa de rasgar o regimento interno do STF a fim de, mesmo com pedido de vistas, aprovarem, pelo menos, a soltura dos corruptos.

 

Obviamente, tudo travestido de legalidade, de interesse público.

 

Havia pressa dos ministros para soltarem os políticos presos. Tem muitos ministros devendo favores a políticos, tem muitos com o pescoço na forca pelos crimes que cometeram e que podem ser delatados pelos que estão presos.

 

Embora fiquemos perplexos e envergonhados com essa atitude, talvez só fiquemos assim por se tratar de outros! Sim, é comum sairmos atrás de soluções, de argumentos, de racionalizações, para encobrir o mal feito.

 

Se precisamos esconder alguma coisa errada, damos a volta ao mundo para encobrir. Se precisamos justificar o injustificável, criamos argumentos em nosso favor ou em favor da causa que defendemos.

 

Enfim, não somos diferentes dos excelentíssimos ministros do STF.

 

O chamado do Evangelho é para que nossa vida seja reta, podendo ser exposta à luz do dia e da verdade; assim, não precisaremos nos defender de nada.

 

E, havendo necessidade de defesa por algum erro cometido, a melhor sempre será pedido de perdão e disposição de corrigir o mal feito.

LEIA TAMBÉM:

As Mídias Sociais na Campanha Política
Caráter na Política

 

Má Gestão Quebra Empresas e Governos

O Brasil é um exemplo de má gestão.

 

Qualquer empresa que gaste mais do que fatura, que tenha mais funcionários do que precisa, que tenha ralos por onde o dinheiro está desaparecendo e, pior ainda, que tenha gestores roubando, vai quebrar!

 

Ou seja, os Estados e Municípios brasileiros estão quebrados. E o Governo Federal também! E as empresas estatais também!

 

LEIA TAMBÉM:

Dando um Jeito de Esconder o Mal Feito
As Mídias Sociais na Campanha Política

Diretos Humanos Para Todos

O vice-presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa Humana, Luiz Carlos dos Santos, foi condenado por integrar o PCC; ele tinha o papel de plantar notícias falsas de violação dos direitos humanos a fim de desestabilizar e desacreditar a Polícia.

 

Enfim, todos os líderes e envolvidos com organizações que defendem os tais “direitos humanos”, deveriam ser investigados a fim de verificar se não são aliados de organizações criminosas.

 

Estranho que essas organizações ostensivamente defendem direitos humanos de criminosos, mas não defendem os direitos humanos dos policiais e da população que sofre nas mãos dos bandidos.

 

Concordo que os criminosos também devam ser tratados com dignidade; contudo, essas organizações parecem não enxergar os direitos de outros.

 

Na aplicação dos direitos humanos, aqueles que atentam contra a vida de outros, contra os direitos humanos básicos do próximo, devem ser tratados com o rigor da Lei.

 

As organizações que defendem os direitos humanos, deveriam priorizar o atendimento às vítimas e suas famílias, que tiveram seus direitos humanos negados pelo criminoso; deveriam valorizar o trabalho da Polícia que combate nas ruas a violação dos direitos de posse, de ir e vir e o direito à vida dos cidadãos de bem; ao mesmo tempo, deveriam proteger o criminoso contra a brutalidade policial e os maus tratos do sistema prisional.

 

Da maneira como agem, fica parecendo que os bandidos são as vítimas e as vítimas e a policia são os bandidos.

 

LEIA MAIS:

 

As Mídias Sociais na Campanha Política – Adailton César
Caráter na Política

As Mídias Sociais na Campanha Política

Conexão Online e Conexão Espiritual

 

Essa última eleição presidencial foi a primeira em que a grande mídia tradicional, a TV, os grandes institutos de pesquisa, os orçamentos milionários, estão sendo derrotados pelo povo através das mídias sociais. A conexão online conectou as pessoas em tempo real e mudou completamente o cenário eleitoral.

 

Mas, a conexão mais antiga da humanidade, é com Deus, pelo ato da criação; acreditando ou não, essa conexão faz parte da nossa natureza (ah, por favor, não estou falando do “deus”da religião; estou falando de DEUS).

 

A conexão é por “habitação” dele em nós; a conversa é oração, ainda que sem palavras.

 

Oro para que a conexão online nos ajude a construir um país melhor pela participação maciça do cidadão.

 

Oro para que a conexão online não destrua nossas conexões humanas, com os que amamos.

 

Oro para que nossa conexão com ELE, nos liberte para uma vida que transcenda as questões políticas, econômicas, e qualquer outra questão da existência humana.

 

Jesus Cristo não veio para mudar condições políticas, mas para mudar a própria vida; não importa se o governo é do imperador, do rei, do ditador, do socialista, do comunista ou do democrata.

 

A vida com Cristo, é VIDA!

 

LEIA MAIS:

Caráter na Política – Adailton César
Dando um Jeito de Esconder o Mal Feito
Diretos Humanos Para Todos

Caráter na Política

Só três frases:

“Um homem que rouba por mim fatalmente roubará de mim.”

 

“Quando se faz a chamada no senado, os senadores não sabem quando devem responder ‘presente’ ou ‘inocente’.”

 

“Eu não me importo com o que os outros pensam sobre o que eu faço, mas eu me importo muito com o que eu penso sobre o que eu faço. Isso é caráter.”

 

Theodore Roosevelt – 26º Presidente dos EUA

 

LEIA MAIS:

As Mídias Sociais na Campanha Política – Adailton César
Má Gestão Quebra Empresas e Governos